Wednesday, February 5

Porque me tornei vegetariana




Antes de explicar o porquê da minha opção é importante referir que existem diferentes tipos de vegetarianos, temos:

Os veganos, que excluem todos os alimentos e ingredientes de origem animal da sua dieta, desde carne, peixe, ovos, leite, derivados deste e mel. Os veganos recusam também o uso de qualquer tecido animal no seu vestuario ou como acessório - qualquer tipo de pêlo, lã ou seda, ou uso de produtos testados em animais. 

Ovo-lacto-vegetarianos, excluem carne e peixe mas consomem ovos, leite e produtos derivados, assim como mel. 

Ovo-vegetarianos, excluem todos os produtos animais da sua dieta, excepto os ovos e seus derivados.

Para quem já lê o blog há algum tempo e para quem me conhece pessoalmente sabe que sou defensora dos animais. Os animais são os seres mais puros que existem, muito superiores a raça humana. Com dizia Gandhi é pela forma como são tratados os animais que se vê o carácter de uma nação. 

Cresci sempre rodeada de animais, a minha família sempre me ensinou a respeita-los. Sempre tive gatos e cães. Lembro-me quando era mais nova trazer cães que encontrava na rua repletos de pulgas e carraças, e juntamente com a minha mãe dar-lhes banho. Muitos deles acabavam por ficar connosco, outros tínhamos que os deixar ir, mas pelo menos sentiam-se um pouco melhores.

No entanto, apesar de ser uma defensora dos animais sempre comi carne. Quando tinha uns 13/14 anos disse à minha mãe que queria ser vegetariana e por alguns meses ainda o consegui ser, mas era muito difícil pois a minha mãe tinha que fazer uma comida para mim e outra diferente para o meu pai. Na altura, a informação que havia não era como a que se encontra hoje. Ou seja, voltei a comer carne. 

Quando fui viver para os EUA, pela primeira vez tive liberdade para comer e cozinhar o que quisesse. Em NY existe variadíssimas opções para quem é ou quer ser vegetariano. Nos últimos dois anos pouca carne comi, embora nunca tivesse desistido por completo. Passava quatro semanas sem comer e depois lá voltava a comer carne, ficava muito frustrada comigo própria por ser fraca ao ponto de não conseguir resistir. Nesta altura, comecei a ler bastante e cheguei a conclusão que um dos grandes mitos é pensar que abolindo a carne não ingerimos proteína suficiente. Não poderia estar mais errada. É sim possível a ingestão de proteína através de legumes, lentilhas, feijão, sementes de chia, spirulina, etc. (Deixarei este tema para outro post). 

Apesar de defender todos os animais, agora que olho para trás posso dizer que era muito ingénua. Eu sabia que para nos satisfazer os animais eram mortos, mas foi só até há  pouco tempo que tive realmente a noção do quanto eles sofrem. E foi aí que decidi que me iria tornar vegetariana. Basta procurar no youtube que vão encontrar videos que mostram o verdadeiro terror que os animais passam no matadouro. 

Por exemplo, sabiam que para a carne de porco ficar mais tenra os porcos são lançados em água a ferver vivos? Dizem que adrenalina e o medo faz com que a carne fique mais saborosa. Um vaca que produz leite não é a mesma que dá carne. Uma vaca chega a produzir 300% mais leite do que é normal produzir, tem ventosas a sugar o leite sem parar durante meses e são confinadas a espaços minúsculos, sem o mínimo de condições. E quando já não dão para mais nada são mortas.  São dadas injecções para que certas partes do corpo do animal cresçam mais rapidamente. Por exemplo, como o peito de frango é o mais procurado, são criados frangos com o peito extremamente desproporcional. Como esse crescimento é feito em poucas semanas os seus ossos partem e estas galinhas não são capazes de se colocar em pé ou caminhar. São sujeitas a serem calcadas e pontapeadas pelos criadores. 




Tudo isto e muito mais é possível de ver neste documentário Food, Inc. Enquanto assistia as lágrimas caiam-me pela cara e pensei: a nossa vida vale mais que a deles? Claro que não! Que ser humano sou eu que depois de saber isto ainda continuo a comer carne?

Existe muita hipocrisia de amarmos os nossos animais de estimação e desprezarmos os demais, porque como já me disseram muitas vezes " as vacas e os porcos são para ser comidos, pois é assim a nossa cultura". Desta forma, toda a minha vida fui hipócrita ao ponto de cuidar e defender certos animais e comer outros. Quando parei para pensar, cheguei à conclusão que não fazia sentido e que teria que mudar. Aliás, depois de estar consciente do terror que estes animais passam, deixei de me interessar completamente por comer carne. Mudei da noite para o dia e nunca me senti tão bem comigo própria como me sinto agora, para além da minha saúde ter melhorado muito depois de ter eliminado a carne da minha alimentação.



É uma questão ainda um pouco difícil de digerir para alguns membros da minha família, que arranjam os mais diversos argumentos para convencer-me do quanto é bom comer carne, como se eu fizesse algo de errado e que "vou acabar por ficar doente" (este argumento é muito bom mesmo!!!).

No início eu tentava explicar, até numa tentativa de influenciar outras pessoas, mas percebi que por vezes não adianta. No entanto, tenho recebido apoio de algumas pessoas que me são queridas e que fazem questão de cozinhar algo diferente ou garantem que o restaurante a que vamos tem opções para mim e que me lembraram constantemente o quão positivo este estilo de vida é. 

A minha próxima fase será deixar de consumir os produtos derivados de animais, como iogurtes, queijo, ovos e produtos testados em animais. A primeira fase foi fácil e sei que esta será um pouco complicada, porém possível de alcançar. Quem disse que um bolo sem ovos nao é saboroso? Manter o foco e tudo é possível. 


A nossa cultura está muito sedimentada e ser vegetariano ainda é visto como algo contra-natura, pois "estes" animais foram feitos para serem comidos. O nosso paladar, o que comemos, a forma como temperamos está vinculada na nossa tradição e questionar esses "mandamentos" é quase como cometer uma heresia.  Acreditando na máxima que diz que está nos nos genes consumir animais, prefiro antes pensar que existe uma alternativa que é o amor e não o sofrimento. Parece que certas pessoas me pedem a todo o momento que justifique a minha escolha, como se o aceitável fosse comer e eu estivesse a fugir a regra. A liberdade está na nossa cabeça e nas avaliações que fazemos antes de tomar uma decisão. E aqui entre nós, sinto uma enorme satisfação em sentir que me estou a libertar e o prazer de comer carne é algo muito egoísta perto deste sentimento. 


Se estiverem interessados ficam aqui alguns documentários que ajudam a tornar-se vegetariano (ou pelo menos consciencializar). 

Food Inc
Food Matters
Vegucated

23 comments:

  1. O teu post vem mesmo certinho e direitinho para mim :)
    Ando a tentar reduzir o consumo de carne... Ando claro um pouco à nora... não gosto de tofu, e fazer uma alimentação só de vegetais acabo por ficar sem imaginação. Vai daí que este meu comentário é apenas para pedir, quando fizeres uns pratos giros, por favor publica :)

    Beijinho e obrigada :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá Maria:) assim que fizer mais receitas ponho aqui:)

      Beijnho

      Delete
  2. Apesar de ainda comer peixe, ovos e queijo, já não como carne há cerca de 4, 5 anos. Também não bebo leite porque qualquer das formas sou intolerante. E como peixe mais por motivos de logística, digamos assim: em casa faço mais vegetariano mas sempre que vou a casa de alguém, a verdade é que dá mais jeito para as outras pessoas fazerem peixe que vegetariano (até porque muitos pensam que os vegs só comem saladas). Também com os meus 14, 15 anos, que meti na cabeça que iria tornar-me vegetariana e aos poucos fui reduzindo as carnes que comia. Sempre que me perguntam o porquê, e eu digo que foi por motivos éticos, ficam muito admirados. "A sério? A sério? E não sentes falta de comer carne? Mas os animais matam-se uns aos outros também!" E ainda mais admirados ficam quando eu digo que não tanto é matar em si, mas a maneira como tratam os animais durante a sua vida e a maneira como acabam por morrer que mais impressão me mete. O mais giro é que eu nunca tentei converter ninguém (a decisão foi minha e nem sequer falo sobre o assunto a ninguém, a não ser que me façam perguntas), mas estão sempre a tentar ver se eu volto a comer carne. Enfim.
    Olha, recomendo-te o livro Eating Animals, do Jonathan Safran Foer, que explica muita coisa sobre as fábricas de carne e não só. Lê-se muito bem e fica-se com uma ideia bastante clara sobre isto tudo. **

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ja ouvi falar nesse livro e quero muito ler. Concordo contigo. É a forma como os matam que é terrível, nao ha qualquer tipo de respeito e nao me sentiria bem se compactuase com isso mais tempo. Iogurtes ainda como mas leite deixei de beber ha muitos anos porque sou intolerante.

      Delete
  3. Eu adoro carne... tudo o que vem dos bichinhos e não aprecio legumes nem fruta. Tem de ser tudo mascarado. Não tenciono mudar a minha alimentação mas essa coisa do sofrimento deles (o ferver, por exemplo) incomoda-me. Isso acho triste... deveria ser diferente porque, pelo menos para mim não é a morte que incomoda, mas sim como os matam e os fazem sofrer.
    Cada um tem as suas opções e seguir os seus ideias. É pena que nem todos percebam a tua opção de vida mas desde que a respeitem e vão valorizando.

    ReplyDelete
  4. Eu também gostava de me tornar mas será difícil. Ultimamente, tenho comido apenas carnes e brancas e peixe, mas é mesmo por uma questão de preferência e porque são mais saudáveis. Pode ser que um dia consiga deixar de comer carne.

    ReplyDelete
  5. Eu também ando a tentar reduzir as carnes e tenho descoberto as maravilhas dos pratos vegetarianos
    mas tem de ser progressivamente
    bjinho

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sim, tem de ser progressivamente principalmente se a pessoa consumir muita carne. Eu, por exemplo ja nao comia muito entao nao foi um grande sacrifico.
      Beijnho

      Delete
  6. Ainda hoje vi um cartoon muito "giro" no facebook precisamente sobre este tema. Dizia um personagem para outro: "Vou ao MacDonalds comer um hamburguer!" Resposta: "Ok, vai lá!"; "Vou ali fumar um cigarro!" "Ok, vai lá!"; "Vou sair para beber até cair para o lado!" "Ok, vai lá!"; "Decidi tornar-me vegan!" "Oh, mas porquê? Não sabes a falta que a carne te faz? E vi um estudo que indicava que a falta de carne bla bla bla... por aí a fora todos os argumentos possiveis imaginarios para inverter a decisão!
    Eu não sou vegetariana, embora consuma cada vez menos carne, mas respeito as decisões de cada um. Também quero acreditar que nos EUA essas questões sejam muito mais industrializadas e menos humanas e, portanto, não serão um reflexo fiável da realidade portuguesa.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Se tiveres o link para esse cartoon envia me PF. Em Portugal a industrialização da carne ja e muito grande e muita da carne vem de fora.

      Delete
  7. Cada vez gosto mais de ti e do que escreves!
    Es das poucas pessoas que 'conheco' que partilha este sentimento pelos animais comigo. Concordo com cada letra! Para mim os animais tem mais valor que muitas pessoas. Merecem o mesmo respeito que os seres humanos. Mas por muito que eu queira, nao me posso tornar vegetariana (estou a estudar cozinha). Mas eivto ao maximo carne e produtos de origem animal. Sapatos de pele, bolsas, carteiras, nem pensar!
    Acho que fazes muito bem em mudar os teus habitos alimentares e so gostava que no mundo houvesse mais pessoas como tu! Continua!!
    Beijinhos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sem duvida que os animais sao muito melhores que muitas pessoas e que nunca te trairão!
      Obrigada pelo apoio:)

      Beijnho

      Delete
  8. Mas tu voltaste para Portugal ou estás cá só de férias? :p
    Quanto ao ginásio, eu não ando no ginásio, no money to pay for it! BUT, I workout at home, is that enough for now? *.*

    ReplyDelete
    Replies
    1. So de férias! Claro, exercitar em casa é ótimo o que interessa é nao estar parado:)

      Delete
  9. Eu também sou apaixonada por animais, e gostaria de ganhar coragem para me tornar ovo-lacto-vegetariana...não sei é se irei conseguir...

    http://Styleloveandsushi.blogspot.com

    ReplyDelete
    Replies
    1. É uma questão de tentares:) diminui a carne so para a branca duas vezes por semana por um mês. E assim consecutivamente, assim não custa muito :)

      Delete
  10. eu concordo com que sejas vegetariana por opção, e sim é possível, mas lembra-te que não é a proteína em si importante, mas sim os diversos aminoácidos que a constituem que é importante, mas também é possível te-la através de vegetais mas é preciso ter uma grande variedade e saber combiná-los.. é muito mais fácil obter proteínas ditas completas através da carne..
    E depois há a questão de vitamina B12 que existe em alimentos tipo carne ou peixe.. Mas se comeres alimentos enriquecidos nesta vitamina também não há problema..
    Eu não estou a criticar e apoio imenso.. Só estou a tentar explicar que é preciso ver ao pormenor, que a alimentação e a importância dela e maior do que aquilo que se pensa..

    ReplyDelete
  11. Ola! É a primeira vez que faço um comentário mas queria dizer.te que adoro o teu blog! E em relação a este texto que escreveste só te posso dizer que sinceramente foi tudo o que senti antes e depois de deixar de comer carne!! É bom saber que outras pessoas têm o mesmo tipo de sentimentos que nós! Tambem comi carne até à uns 2 anos atrás até que um dia decidi que iria deixar de ser cobarde e não comer mais os animais de quem eu tanto gostava!! Desde o dia em que decidi que não comeria mais carne nunca mais tive sequer tentação de voltar a comer! Naquele dia ACABOU! Agora até o cheiro me faz confusão!? Onde andamos com a cabeça!?!? Comer animais !?!? Se pensarmos bem... Simplesmente não faz sentido!! Beijinhos.

    ReplyDelete
  12. Ola! É a primeira vez que faço um comentário mas queria dizer.te que adoro o teu blog! E em relação a este texto que escreveste só te posso dizer que sinceramente foi tudo o que senti antes e depois de deixar de comer carne!! É bom saber que outras pessoas têm o mesmo tipo de sentimentos que nós! Tambem comi carne até à uns 2 anos atrás até que um dia decidi que iria deixar de ser cobarde e não comer mais os animais de quem eu tanto gostava!! Desde o dia em que decidi que não comeria mais carne nunca mais tive sequer tentação de voltar a comer! Naquele dia ACABOU! Agora até o cheiro me faz confusão!? Onde andamos com a cabeça!?!? Comer animais !?!? Se pensarmos bem... Simplesmente não faz sentido!! Beijinhos.

    ReplyDelete
  13. Olá Diana
    Cheguei hoje ao teu blog e assim que li este texto, senti que tinha que comentar.
    Eu não como carne há 2 anos. Passei por um processo semelhante ao teu, aos 17 anos, mas que só durou 1 ano, exatamente pelas questões logísticas de viver em casa dos pais.
    Há 2 anos senti que não queria mais fazer parte deste negócio do horror, que trata vidas não-humanas como tijolos ou cimento ou qualquer outra matéria prima que não sente.
    Já assisti, ranhosa e desesperada, a documentários sobre o processo de "processamento" de animais para consumo. Já vi filmes de terror menos impressionantes. E não quis fazer parte disso.
    Nunca senti vontade de comer carne desde que tomei esta decisão mas sempre disse a mim própria que se sentisse, comeria. Mas, repito, nunca senti. O horror do que vi supera tudo.
    Um dia deixarei de comer peixe. E laticínios. E ovos.
    Um dia serei um ser humano melhor.
    Obrigada por divulgares a tua opção. Todos nós sabemos o que passamos de cada vez que dizemos "eu não como carne".

    ReplyDelete
  14. Uau, que post elucidativo Diana. Só de pensar no sofrimento dos animais até me dá vontade de chorar. Temos de mudar muita coisa. Os humanos são por vezes completos animais (no pior sentido da palavra), há coisas que ganharam uma proporção tão negativa que nem dá para acreditar.

    http://mundodamafy.blogspot.pt/

    ReplyDelete
  15. Vi este post apenas hoje, por estar linkado a um post mais recente. Admiro muito a tua mudança, e nao quero falar de see vegetariano em particular, mas das mudanças em geral. Por vezes, por mais que tentemos convencer os outros de uma filosofia na qual acreditamos, acabamos por ser os chatos da historia, da mesma maneira que nao aceitam a tua opiniao, outros podem entender que nao aceitas a deles. Nada como partilhares a tua experiencia no teu blog, pois motivaras muitas pessoas e as inspiraras. Mas acontece sempre quando a outra pessoa quer e nao quando nos queremos. Beijo enorme.

    ReplyDelete
  16. Pf não esquecer toda a indústria das peles / pelo. Isso sim, é pior que filmes de terror !

    ReplyDelete

Sejam bem-vindos:)