Thursday, December 11

E depois existem estas dietas que se dizem saudáveis

Parece que esta moda das dietas Low Carb andam na boca do povo. Abrimos o Instagram e é tudo com hashtags  #lowcarbdiet #nocarbs #semcarb #atkins, etc. Curiosa com sou, comecei a ler mais sobre a dieta Atkins, tal como disse apenas por curiosidade, pois nunca no meu perfeito juízo iria adoptar tal coisa. Estes dias emprestaram-me o livro "A Dieta dos 31 Dias" da Ágata Roquette, que também é baseado no mesmo pressuposto. Muita proteína e gordura. Revolta-me ver pessoas a fazer dinheiro com tamanhos disparates. Aproveitam-se do desespero de quem quer emagrecer e levam-nas a adoptar dietas prejudiciais à saúde. Porquê 31 dias? Porque ninguém é capaz de aguentar esta dieta por muito tempo, devida à falta de nutrientes e vitaminas. Ia escrever sobre o assunto, mas encontrei este texto do blog The Love Food, que descreve exactamente do que se tratam estas dietas e reflecte o meu ponto de vista.

Nos últimos tempos têm surgido várias dietas baseadas em proteína e gordura, como a Atkins e a de Ágata Roquette, que tem tido um sucesso estrondoso em Portugal. Estas dietas são super populares sobretudo porque se pode comer tudo o que se diz ser mau para saúde e emagrecer, e são baseadas em jargões científicos com muito pouco de científico. Vou tentar explicar (muito resumidamente) porque é que tudo isto é mau para si.
Quais os alimentos “permitidos” nesta dieta? Carne, salsichas, peixe, leite, lacticínios e óleo. Se tiver sede, beba uma Coca-Cola light por dia. Apetece-lhe um docinho? Coma gelatina. Fruta à noite? Nem pensar, é melhor comer umas salsichas, fiambre e o resto do frango assado do jantar. E a sopa “é triste”, por isso o melhor é não comer. Todos os hidratos de carbono são diabolizados – saem de cena todas as leguminosas, arroz e massa. Sopa, abóbora e cenoura cozida são os piores inimigos. E ainda tem direito a um dia de “folga” que se chama “dia da asneira”, que é um dia em que pode comer tudo o que quiser. Se for vegetariano, vai ser difícil emagrecer porque vai estar sempre com fome.
Enfim, um parágrafo basta para se perceber que, nutricionalmente, tudo isto tem pouca consistência.Contudo, as pessoas emagrecem, é um facto. Porque é que emagrecem? Primeiro porque deixam de comer hidratos de carbono. Se comer arroz, massa e pão todos os dias e deixar de comer, vai emagrecer. Não há mistério. Segundo porque é uma dieta diurética (de uma forma pouco positiva): os rins trabalham duas vezes mais para conseguir desfazer a proteína e livrar-se de toneladas de  ureia tóxica. Emagrece-se porque se perde muita água, logo, perde-se volume. 
(...)

Basear uma dieta em proteina animal, gordura e Coca-Cola não pode ser bom. Quer perder peso? Faça refeições equilibradas, coma muitos legumes e fruta (os legumes e a fruta são maioritariamente compostos por água e estão carregados de vitaminas); coma tofu, soja e seitan, que não têm gordura e têm muitas proteínas; frutos secos (sem serem fritos) e sementes, que têm gorduras boas, milhares de nutrientes e minerais (incluindo ómega 3), e faça desporto, caminhe, nade, enfim, mexa-se. E convença-se de que ser pouco saudável não compensa uns kilos a menos.

É, no mínimo, pouco responsável propôr emagrecer assim.

21 comments:

  1. Já tinha lido algumas coisas sobre essa dieta dos 31 dias e também fiquei de pé atrás...não me parece minimamente saudável mas sim uma forma "à pressão" para perder alguns quilos, na minha opinião...

    ReplyDelete
    Replies
    1. Tudo aquilo que é escrito no livro, não faz qualquer sentido e perigoso para quem a segue.

      Delete
  2. Eu fico quase chocada com alguns regimes que vejo. Penso que se existe a roda alimentar é por algum motivo. Equilíbrio é a palavra chave para a saúde, mas esta saga da dieta, corpo sarado, perfeito está-se a tornar numa epidemia. ;)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Dizer que a sopa é "triste" e dar primazia a salchichas, fiambre e coca cola, só mostra o quanto esta dieta é errada! As pessoas estão desesperadas e vão na conversa.

      Delete
  3. Quando li sobre esse livro da dieta dos 31 dias também torci um pouco o nariz. Há cerca de quatro anos atrás andei num nutricionista porque precisava de ajuda para emagrecer. Apesar de em casa ter tido sempre uma alimentação saudável, às vezes cometia uns pecados e tinha péssimos hábitos como não ter horas certa para comer, sair de casa de manhã sem tomar pequeno-almoço, passar horas e horas sem comer. Como o meu metabolismo é muito baixo, a primeira coisa que ele me fez foi tirar-me batatas, arroz, massas e pão durante cerca dois meses, nos dias em que não fizesse exercício físico - tirando isto e alimentos óbvios como bolachas, gorduras e afins, não tinha alimentos proibidos. Como na altura já não comia carne, disse para eu comer peixe, tofu, e aconselhou-me uns batidos proteicos. Fazer lanchinhos saudáveis, não beber refrigerantes, comer muita verdura - que foi coisa que sempre fiz - e, para mim, o mais importante de tudo: comer sempre sopa ao almoço e jantar. Sopa com abóbora, cenoura, courgette, com tudo - menos a batata, inicialmente. Basicamente, quando ia para o segundo prato, a dose já era bem menor.
    A coisa resultou tão bem que, para além de ter conseguido emagrecer o que pretendia, também consegui manter (grande parte) desta re-educação alimentar. Porque a meu ver, uma dieta bem conseguida é aquela que tu consegues manter o resto da vida e não estas dietas malucas.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Eu nem gosto muito de chamar dieta, porque dieta é feita apenas por um tempo limitado. Re-educaão alimentar é o mais acertado, vemos o que fazemos de errado e melhoramos e mantemos para toda a vida.

      Delete
  4. eu e dietas não nos entendemos. O mal destas coisas é que são repentinas e no final as pessoas voltam aos velhos hábitos. Prefiro comer de tudo, mas pouco


    tarasemanias.pt

    ReplyDelete
  5. Diana gostei imenso da tua abordagem a este tema e acho que é realmente importante alertar as pessoas para este tipo de dietas pouco saudáveis e até perigosas. As pessoas têm de aprender a comer equilibradamente, para assim conseguirem manter uma dieta saudável. Senão quando param com estas "dietas disparate" recuperam todo o peso que perderam e mais algum ainda...o segredo é aprender a comer.

    http://world-of-wanderlust.blogspot.pt/

    ReplyDelete
  6. Eu quando vejo gentinha a falar de dietas low-carb, proteicas e do género como se fossem uma descoberta fantástica e super atual...só me dá vontade de rir. Dietas como a do Atkins, Dukan e companhia existem há muiiiiitos anos. Se resultam? A do Dukan resultou comigo há 6 anos, depois do meu mais novo nascer, quando não conseguia perder de maneira nenhuma os 6 kg a mais que ficaram. Agora é uma dieta que custa imenso na fase exclusivamente proteica, mas já custa menos na fase da mistura com legumes. Mesmo assim, quando perdi aqueles 6 kg, parei. Não fui feita para dietas, adoro comer e comer de tudo. Basta ter conta, peso e medida, como em tudo o que fazemos.

    http://thelusofrenchie.blogspot.pt

    ReplyDelete
  7. Creio que temos que pensar que nem todos somos iguais e acredito que para pessoas que precisam perder muito peso a dieta dos 31 poderá ser a ideal, depois há sempre a fase de manutenção. Mas cada um é cada qual.
    Depois há hábitos que temos que não são bons e têm que ser reeducados. Por exemplo, apesar de termos sido educados a comer pão branco ao pequeno-almoço, ao longo dos anos percebemos que não nos faz tão bem e o melhor é o escuro etc etc (isto é só um exemplo, para não falar na quantidade de batatas que se come em vez de verduras)...
    O grande objectivo, aqui, acho que passa por ensinar as pessoas a comer.

    Ainda falta a dieta Paleo, que também está em voga!

    Beijinhos,
    viagemdoceviagem.blogspot.com | Facebook

    ReplyDelete
  8. Eu não sei se será qualquer dieta será saudável mas, é certo que devemos ter cuidado com o que se come.

    ReplyDelete
  9. Não me dou com dietas, fiz há uns anos uma desses géneros e não correu muito bem. Agora sei que mais do que resultados é preciso mudar o estilo de alimentação. Que é o que me falta.
    Mas não sabia dos problemas dessas dietas, mas depois de ler este post concordo perfietamente

    Beijinhooos

    http://princesasemtiara.blogs.sapo.pt/

    ReplyDelete
  10. Fiquei chocada com esta dieta... Como é possível seguirem uma dieta destas...

    Beijinho Diana*

    ReplyDelete
  11. Pois ja tinha ouvido falar desta dieta nao faz sentido nenhum. Para mim nunca fiz dieta mas faco atencao no que como e nas quantidades. Para mim e mais importante ter uma alimentacao saudavel.
    claudiapersi.blogspot.ca

    ReplyDelete
  12. Fiz essa dieta o ano passado durante 3 semanas e parei, porque provocou-me uma prisão de ventre contínua durante quase todo o tempo em que a fiz. É isenta de fibras, o que desregula completamente o metabolismo... Ouvi dizer há uns tempos que ela agora já não aconselha a Coca Cola Zero, porque "saíram uns estudos que dizem que faz mal". A sério, foi preciso saírem estudos para descobrir isso? Na altura os meus pais fizeram a dieta e realmente perderam peso, mas escusado será dizer que voltaram a ganhar o peso perdido assim que retomaram os hábitos alimentares que tinham antes...

    ReplyDelete
  13. Eu tenho todos os livros da agata roquete, especialmente por causa da minha mãe, tem boas receitas muito boas na verdade mas estive no outro dia a ler o esquema todo e achei um pouco estranho... todas aquelas fases e tudo o que é permitido e não permitido. Uso-o para retirar algumas receitas ou snacks mas não sou adepta de seguir estes regimes. Acho que as coisas tem de ser mais naturais e equilibradas que isso. E nenhuma dieta serve sem exercicios complementares porque não há milagres.

    ReplyDelete
  14. Alguém que me entenda... Sou totalmente contra esse tipo de restrições. Aliás, sou contra qualquer tipo de dietas. Sou a favor de adoptar um estilo de vida mais saudável que seja facilmente exequível.
    O pior é que essas dietas utilizam um marketing agressivo para divulgação e as pessoas acabam por achar que é saudável. Pior, são 'nutricionistas'. Não é dever deles aconselhar-nos uma alimentação nutricionalmente rica?

    ReplyDelete
  15. «Dieta» não é sinónimo de restrição alimentar, toda a gente e até os animais segue(m) uma dieta. Dieta é o que se come!
    A Atkins não conheço muito bem...
    #semcarb nunca vi haha :P mas fica giro!
    Eu acho que nestas coisas é preciso ter mente aberta - cada dieta tem as suas vantagens e desvantagens. Não concordo com coca-cola, fiambre ou outras coisas aconselhados por nutricionistas, mas também não descarto tudo. Ninguém é possuidor da verdade absoluta. Não só porque as necessidades variam de pessoa para pessoa, mas também porque não há grande consenso sobre o que faz bem e o que faz mal - o que também é influenciado pela primeira parte que referi. Muita proteína e gordura numa dieta até fazem sentido, e já vi inúmeros argumentos a favor... Já há algum tempo que se abandonou o cliché do «gordura engorda» e essas coisas. Ou pelo menos algumas pessoas abandodaram. Os ideais de alimentação saudável têm mudado, também, não podemos ficar presos com uma crença... Se te opões a isso tudo bem, percebo perfeitamente que sejas compra, mas também não acho que se possa chamar «disparate» a uma coisa que até tem bases fortes e é muito discutível.
    Algumas pessoas têm necessidade de emagrecer, e para essas pessoas até podia ser mais saudável entupir-se de coca-cola do que seguir os hábitos alimentares. Isto também depende daquilo a que comparas - talvez perca em relação a uma dieta equilibrada e mais «natural», mas não em relação à alimentação típica de hoje. Não acho que seja muito correcto promover como nutricionista (não que EU seja, estou a dizer quem promove) comida baixa em calorias e HC que tem um monte de porcaria, muito menos encorajar a manter esse hábito, mas se a dieta conseguir fazer as pessoas emagrecer e depois se deixarem disso não é mau. Primeiro porque a dieta permanente é o principal, e depois porque quem emagrece tem tendência a depois procurar um estilo de vida saudável - e não é preciso muito para chegar ao «talvez haja coisas mais saudáveis do que fiambre». Eu até percebo a ideia de inserir na alimentação essas coisas - até são uma ajuda. Coisas aliadas a «mau», excepções, coisas não tão saudáveis... podem ajudar alguém a manter a dieta. Era possível sem eles? Claro. Mas talvez não seja fácil para alguém habituado a hambúrgueres e fritos. Continuo a achar que não é muito responsável promover esses produtos, mas têm um propósito. Não podemos pegar na vista utópica de pôr alguém com maus hábitos a comer logo comida «limpa», fruta, salada, carne (ou alternativas), etc. Não é tão fácil como parece...

    ReplyDelete
  16. Também não percebo o ataque exagerado e quase pessoal a algumas dietas. Obviamente são uma tentativa de ganhar dinheiro e popularidade. Sim, brincam um bocado com a saúde das pessoas. Mas os rácios de gordura-proteína-hidratos são discutíveis, e «low carb» até tem algumas bases científicas. E também há dietas low carb» que não usam salsichas, fiambre, gelatina nem coca cola, e essas parecem ser vantajosamente ignoradas na discussão. O arroz e as leguminosas fazem melhor do que a carne? Discutível. Os hidratos não devem ser reduzidos? Discutível. Soja é melhor do que carne? Muito discutível. Eu também percebo que isto se oponha ao vegetarianismo, mas não é por isso que todos os vegetarianos têm de as diabolizar. Do ponto de vista ético até louvo o vegetarianismo. Em termos de saúde já não sei bem. Tu podes achar que sim e até pode ser, mas não tens a certeza - assim como eu não tenho. E alguns alimentos base de vegans (HC, leguminosas, produtos à base de soja) também não são muito consensuais. Muitos são tão ou mais processados do que salsichas/leite/hambúrgueres e etc. Não é por não ter produtos animais que passa a ser saudável, apesar de isso ter sem dúvida coisas boas.
    Quanto à sopa... É mais uma coisa cuja intenção até percebo. Ninguém é proibido de a comer - aliás, ninguém é obrigado a seguir a dieta. Mas a sopa tem uma conotação negativa, e se calhar numa primeira fase até pode ser desmotivante. É melhor uma pessoa ser morbidamente obesa ou não comer muita sopa, emagrecer e voltar a comer sopa? Se bem que acho que excluir pela conotação não faz muito sentido, a sopa pode ser uma boa aliada de quem tenta emagrecer.
    Mais uma vez, eu não concordo muito com essas dietas. Mas tento manter um espírito aberto. Acho mesmo que o utópico está fora de questão, e qualquer regime alimentar precisava um bocado de o ser para ser perfeito ou como idealizado.
    Eu percebo também a defesa do veganismo, mas não gosto de fundamentalismos. O aconselhar seitan, soja e tofu... Sinceramente não acho assim tão correcto, também. São assim tão bons? Nem toda a gente tem de seguir o mesmo regime alimentar, isso parece um bocado impingir. Se estamos a falar de emagrecer há muito produto animal que também ajuda. Há imensa carne com pouca gordura e muita proteína. É possível emagrecer com qualquer dieta, depende das quantidades. Se as pessoas tiverem sentido crítico sabem modificar as dietas dos livros. Podem até criar as suas próprias. E aí a dieta escrita no livro, os produtos processados e cheios de coisas não tão boas, isso tudo deixa de ser tão mau como é. O reprovável é essa manipulação de alguém que quer muito emagrecer e está desesperado e disposto a seguir a dieta devido às promessas... Mas essa manipulação é igualmente feita quando se oculta do leque de alimentos de uma dieta todos os produtos animais só porque o autor opta por não os ingerir. Talvez esteja a dar demasiada importância... Mas também está a encorajar o consumo de alimentos que nem toda a gente concorda como sendo bons para um emagrecimento saudável... Talvez alguém vegetariano não queira aconselhar o consumo de carne, mas quem tem (mais ou menos) visibilidade também tem o papel de manter o espírito crítico das pessoas e não «forçar» ideais que são de cada um. Cada um tem de preservar o seu sentido crítico, mas há muita gente que não consegue... e com a verbalização de fundamentalismos é ainda mais difícil, principalmente para quem não está muito dentro do assunto. Eu gosto de ler os pontos de vista opostos. Faz-me perceber que nada é absoluto.

    (Desculpa se soei agressiva, só queria dar a minha opinião. Respeito a tua e a da autora deste texto, mas às vezes também acho que nos deixamos todos levar pela crítica a algo. Acabamos por não perceber que tanto o criticado como a crítica acabam por formar dogmas...)

    ReplyDelete
  17. Boas,caros leitores !

    Nesta dieta dos 31 dias, esta não é 100% proteica, não sei se existe alguma que o seja, pode-se comer / ingerir alguns hidratos de carbono, pode-se comer legumes com baixo índice glicemico, a sopa e fruta a partir dos primeiros 15 dias pode-se comer também.
    E no livro a dieta dos 31 dias, ela fala de duas das dietas proteicas existentes, a do Dr. Atkins e South Beach.
    Fez uma adaptada aos hábitos alimentares dos Portugueses. E também fala de quem não deve fazer esta dieta.
    Antes de dizerem que fruta legumes e sopas são proibidos, informem-se melhor acerca desta dieta.

    ReplyDelete

Sejam bem-vindos:)