Thursday, April 24

Coisas estranhas que os americanos acham normais

Depois de algum tempo a viver em NY dei-me conta que existem certas coisas que para os americanos são perfeitamente normais, mas que para os turistas ou para quem se tenha mudado há pouco tempo para este país acha completamente despropositado. Quando estou a conversa com amigos americanos e este tema vem à baila, eles não entendem como para nós algumas situações podem ser algo fora do comum, quando para eles faz todo o sentido e seria impossível se assim não fosse. 
Eis a lista de situações que por muito tempo aqui viva sei que nunca vou entender e continuarão a não fazer sentido nenhum. 

1. As porções de comida nos restaurantes. O que para os americanos é o menu pequeno para nós é o grande. Certas cadeias de fast food têm um menu onde a bebida chega a ter 1l. E mais, como se isso não bastasse é possível encher o copo as vezes que se quiser. Nos restaurantes é praticamente impossível encontrar a opção de meia dose ou pedir uma dose para dois. O que vale é que se pode levar para casa o que não se come, porque no meu caso seria um grande desperdício, é que por muito esfomeada que esteja quase nunca consigo comer tudo. É impossível, o meu estômago não aguenta! 



2. Bandeiras por TODO o lado! Que os americanos são bastante patriotas já todos nós sabemos, mas muitos deles acabam por cair no ridículo nesta tentativa de mostrar o orgulho americano. 



3. Não incluir as taxas no preço dos produtos! Só sabemos ao certo quanto é que vamos pagar quando chegamos a caixa. Já vi pessoas por não terem dinheiro suficiente darem meia volta e virem-se embora. Seria tão bom olhar para uma etiqueta e ver o preço real do produto! Porquê que os americanos gostam de complicar? Porquê? 

4. Gorjetas. Não é novidade nenhuma, mas não podia deixar de passar em branco. É algo que NUNCA vou conviver com agrado! É mais forte que eu! 

5. Comida em spray. Os americanos adoram encontrar formas de poupar tempo e dinheiro. Estes sprays podem conter manteiga, óleo, azeite, queijo. É só pulverizar na frigideira ou directamente na comida é já está. Quanto a mim dispenso, depois queixam-se do aumento da taxa de cancro.



6. Pão demasiado doce. Os americanos adoram tudo que seja super doce, super picante ou super salgado, não há meio termo. E o pão não escapa. É preciso ter muita atenção aos rótulos, pois a maioria do pão estão carregado de açúcar. Para quem não está habituado nota uma grande diferença quando aqui chega. Por exemplo o pão de hambúrguer tem um sabor muito doce e há quem não esteja habituado a combinação de carne com açúcar! 

7. Quando se paga com cartão de multibanco muito raramente pedem pelo PIN. Num restaurante, por exemplo levam o cartão com eles, fazem a transacção e voltam com o cartão e comprovativo de pagamento. Óptimo convite para fraudes. 

8.  Ser advogado é caminho andado para se tornar famoso. Na televisão, espalhados pelas ruas,a publicidade a advogados está por todo lado. O grande problema é que é feita de forma exagerada e por vezes (quase sempre) acaba por ser ridículo. A credibilidade que poderiam ter cai por terra depois de ver estes anúncios.  




9. Viciados em pickles! Os pickles acompanham quase toda a comida, desde o simples hambúrguer com batatas fritas, até pratos mais elaborados. É uma forma "de encher chouriços", quando não há mais nada para colocar no prato vai de enfiar uns quantos pickles e o povo fica todo contente. 

Sim é manteiga de amendoim com pickles. 

10. Sanitas demasiado baixas e divisórias com aberturas demasiado grandes. A primeira vez que usei uma casa de banho publica pensei que estava a  sentar-me numa sanita de criança. Convém dizer que trabalhar as pernas no ginásio e sanitas americanas não combinam. Dói que se farta para nos sentarmos. Para não falar que as divisórias têm aberturas ENORMES. Uma vez no trabalho calhei de ver a minha directora sentada com as cuecas pelo joelhos, acreditem não é uma visão que se queira ter!

11. Em conversas de grupo os americanos dizem muitas vezes "oh really?" e para quem não sabe pode ter a ideia que a pessoa está como que a desafiar a outra ou que não acredita no que se está a dizer. No entanto, na realidade essa expressão significa apenas que o assunto é interessante e que gostaria de saber mais acerca. 

12. Publicidade a medicamentos que necessitam de receita médica. Ligar a TV num dia da semana durante a tarde é sinonimo a sermos bombardeados com publicidade a tudo que é medicação. Não estou a falar  de comprimidos para emagrecer, mas sim de doenças mais serias, como depressão, cancro. 

13. Usar os sapatos dentro de casa. Pantufas? Chinelos? A maioria dos americanos não sabe o que isso é, ou pior quando usam pantufas e tem que ir buscar café nem se preocupam em calçar sapatos e vão mesmo de pantufas. Detesto que entrem em minha casa e não tirem os sapatos. Nunca digo para tirar, mas se me vêem a fazê-lo parte-se do principio que tirem também os sapatos. São capazes de chegar a casa, deitarem-se no sofá ou na cama de sapatos. Nojento!
Ah, e uma coisa que acho muito estranha quando trabalhava como babysitter, as crianças vão para a escola com o pijama por debaixo da roupa e quando chegam a casa é só tirar a roupa e já estão de pijama prontas para ir para a cama!

26 comments:

  1. Pois e Diana ha ai tanta coisinha parcida aos Canadianos, apesar de viver aqui desde pequenina muita coisa nao gusto nao concordo mas olha pronto... Essa dos sapatos por acaso aqui nao vejo isso e ainda bem, pois eu nunca gosto de andar de sapatos em casa. Essa do " oh really? " tambem usamos aqui. Aai comida em spray que horror aqui tambem usam muito detesto isso, mas a malta nao tem nocao??? :) As gorjetas e uma coisa que tambem nao gusto nada mesmo quando vou jantar fora ja cheguei a ter que pagar $30 de gorjeta num jantar a dois. Epah acho isso um pouco exagero devia ser o que a pessoa se quizer dar da nao obrigacao. E as taxas... adoro quando vou a Portugal e estou a fazer compras e nao tenho que fazer continhas de cabeca hehehe. As porcoes e uma coisa aqui tambem exagerada, nunca consigo acabar e agora divido com a minha pequenina e mesmo assim ainda por vezes quando o maridao nao acaba la levo eu o resto pois se nao e um desperdicio. Nao e so uma questao de $ mas tambem nao consigo deitar comida fora.
    Adorei este teu post. :)
    Beijinho grande
    http://claudiapersi.blogspot.ca/

    ReplyDelete
  2. Fiqueio muito mais ilucidada sobre a "cultura" americana:)
    ahahahahahah:)

    Jinhoooooosssssss
    http://suricatte.blogspot.pt

    ReplyDelete
  3. Ui, isso das crianças andarem de pijama por debaixo da roupa faz-me algum nojo... badalhoquice!

    ReplyDelete
  4. Essa de não indicarem as taxas nos preços foi o que mais me desagradou quando fui a NY. Cheguei a recusar uma sandes quando cheguei à caixa e me apercebi quanto realmente custava. É que não faz sentido, mesmo!

    Agora, as crianças irem de pijama por baixo da roupa para a escola parece surreal...

    ReplyDelete
  5. No Inverno e quando andava na escola primária levava sempre o pijama debaixo da roupa! E adorava! :)

    ReplyDelete
  6. Primeiro comentário: POBRE GATO!!!

    Segundo comentário: a exclusão das taxas - eu fazia logo as contas para não ser apanhada de surpresa no acto do pagamento; a obrigação das gorjetas - dava porque era obrigada, mas dava sempre o mínimo!

    ReplyDelete
  7. O cartaz do advogado Saul é alusivo à série Breaking bad! O gajo é advogado na dita série e chama-se Saul. Não me parece que seja real!

    viagemdoceviagem.blogspot.com

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sim eu sei! Coloquei para dar um exemplo da publicidade que por aqui aparece.

      Delete
  8. São modos de vida completamente diferentes mas essa de ir com o pijama para a escola
    e o que me choca mais.

    ReplyDelete
  9. Realmente, entre a manteiga de amendoim com pickles, os putos que levam o pijama vestido (horrorizante!), as taxas e o resto, é cada uma!

    http://thelusofrenchie.blogspot.pt

    ReplyDelete
  10. Imensa piada :P
    Eu sinceramente não percebo o patriotismo todo, até assusta! E nunca fui aí :P
    Esses sprays começam a ser moda por cá, também dispenso. Queijo? Argh...
    Também já reparei no pão doce pelas receitas, é mesmo estranho :P já acho estranhos os pães embalados de hambúrguer/cachorro por serem estranhamente doces...
    Isso dos pickles não sabia, que engraçado (e um bocadinho estranho...). Com manteiga de amendoim? Ainda mais estranho :P
    E as crianças irem de pijama + roupa para a escola é meesmo esquisito! Foogo.. Que preguiçosos ;)

    ReplyDelete
  11. eu não gosto que me peçam para me descalçar, logo também não o faço, mas tal como parto do principio que se o dono da casa se descalça, também o devo fazer, dava jeito que algumas pessoas percebessem o mesmo quando vêm a minha casa!
    mas depois de ver a minha vizinha a aspirar de saltos altos já espero tudo!

    ReplyDelete
  12. Não percebi a relação entre comida em spray e o cancro...

    ReplyDelete
  13. O dono da casa pode andar descalço, calçado, tanto faz, é opção dele. Agora, fazerem-me tirar os sapatos na casa de alguém nunca me aconteceu! E ainda bem! Eu não tirava.
    Sei que alguns indianos fazem isso e alguns asiáticos também, porém não conheço esse hábito em Portugal. Conheço muita gente de vários pontos de Portugal e de várias classes sociais e nunca ouvi falar de tirar sapatos quando somos visita.
    Clara

    ReplyDelete
    Replies
    1. E como nunca ouvi, isso quer dizer que não acontece?? Faz todo o sentido as pessoas tirarem os sapatos quando chegam a casa, principalmente quando existem crianças pequenas, é uma questão de bom senso, concordo que não seja prática comum em Portugal, mas também não percebo qual é o espanto... Usualmente costuma ser "a minha casa, as minhas regras..." se não tirasse tinha bom remédio, também não entrava...

      Delete
    2. Na minha casa, toda a minha família e amigos já sabem que tiram os sapatos à entrada. Tenho até chinelos para todos. Na primark são baratos e ninguém anda descalço aqui. Todos ficam com os pés aconchegados. Tenho um filho pequeno, já praticava isto antes dele nascer, mas agora então, muito mais! Quem não gosta, que se conforme ou que não venha mais!

      Delete
  14. A parte das crianças irem para a escola de pijama não é novidade para mim, na época de escola tinha uns quantos colegas que durante o Inverno também não despiam o pijama. Ahahah!

    ReplyDelete
  15. Adorei este post a sério!!! não fazia ideia de nada disto e é super curioso para mim saber desta pequenas coisas á países mesmo estranhos ehehe


    http://vidatres3.blogspot.pt

    ReplyDelete
  16. Mas os miúdos correr e suam na escola/creche... blhaaacccc...
    Quanto ás gorjetas eles cá não as deixam, ou quando deixam é tipo um dólar... ridículo...

    ReplyDelete
  17. Apesar gostar muito de andar de pantufas em casa (sempre que posso ando) não me sentiria muito confortável em chegar a casa de alguém e ter que o fazer. já visitei algumas (muitas) casas ao longo da minha vida como e óbvio e nunca me disseram para tirar os sapatos, nem os próprios donos tiram. Quando estou em casa e tenho visitas também não ando descalça. Não vejo qual e o problema, sinceramente!

    ReplyDelete
  18. Resumindo: É tudo à grande e à Americana! O tamanho dos menus é qualquer coisa de assustador :O
    Por acaso, tenho cada vez mais vontade de ir a NY, o teu blog tem contribuído para isso!

    ReplyDelete
  19. No geral achei o post interessante, concordando com alguns dos pontos que enumera. Com outros não tanto. Explico:
    - Em minha casa as sanitas são aproximadamente da altura das Portuguesas, e até a data ainda não vi nenhuma que me pareça mais baixa;
    - Como muitas vezes em restaurantes e raramente sobra comida. Por isso não considero o tamanho das doses exagerado. Talvez as Portuguesas sejam pequenas.
    - Não acho estranho nada na gastronomia Americana. Não sei se a quem visita Portugal lhe parecem estranhos pratos como tripas de porco, papas de sarrabulho…
    - Não me foi difícil habituar a ver os preços sem taxes (IVA), pois em Portugal costumava comprar na Macro, e acontecia o mesmo. A diferença é que aqui nos USA, o dito IVA, varia entre os +/- os 4 e os 7%. Uma grande diferença com os 23% (?) de Portugal.
    - Não e verdade que o TIP (gorjeta), seja obrigatório. Pode ter a certeza que se não der essa gratificação, não chamam a polícia. É de bom-tom dar, e deve-se dar em função da satisfação do serviço. Quem o recebe agradece e faz descontos sobre esse ganho, que é considerado um complemento salarial.
    Se alguma vez me acontecesse alguém dizer-me directa ou indirectamente para me descalçar em sua casa, acredite que já não entrava. Em minha casa ando de chinelos, mas não os tenho para as visitas. Se tenho prazer em receber os amigos ou a família, recebo-os calcados. E se a casa se sujar, limpa-se.

    ReplyDelete
  20. Bem não fazia ideia do abismo cultural que é viver em NY ;) estamos sempre a aprender eheh.
    Beijinhos*

    ReplyDelete
  21. Eu adoro estar em casa de meias ou pantufas, o chão ñ fica tão sujo. Uma coisa que eu ñ compreendo é comerem um bife acompanhado com um copo de leite. Mas se eles forem ao nosso país também se podem queixar de umas quantas coisas.
    Aqui em Seattle partilhar uma dose é normal, sempre se poupa uns doláres.

    ReplyDelete
  22. o better call sal matou-me xD Breaking Bad time heheh

    De TODAS essas, o meu me meteria mais confusao seria mesmo as taxas -.- Acho que andava sempre de telemovel na mao para saber o total antes de fazer o pagamento...

    Depois as crianças ...nao vejo mal usarem o pijama , eu nunca usei...MAS depois nao tomam banho?? Say what?!

    ReplyDelete

Sejam bem-vindos:)